Prefeitura de SP lança o site do City Câmeras e divulga números do projeto

Plataforma de monitoramento  recebe mais câmeras e reforça vigilância em bairros comerciais com a participação de equipamento da iniciativa privada

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Setembro de 2017 Edição do Mês

Da Redação


 

Lançado no mês de março, o Projeto City Câmeras celebrou a instalação de 250 câmeras na região do Brás – sendo 232 fixas e 18 modelos móveis.  O bairro – o maior centro comercial de São Paulo - foi o primeiro a participar da iniciativa, que vai se espalhar por toda a cidade. Dessa forma, a primeira etapa do projeto foi concluída, com a integração de 333 câmeras à plataforma da cidade de São Paulo.

Os números foram divulgados nesta terça-feira, dia 11 de julho, com lançamento oficial do site do City Câmeras na sede da Prefeitura. Durante o encontro foi demonstrado de que forma a população e as empresas podem participar do projeto, oferecendo as imagens de suas câmeras que serão conectadas diretamente ao sistema e poderão ser acessadas diretamente pelos distritos policiais, batalhões da PM e da Guarda Civil Metropolitana. O sistema também está integrado com o Detecta, da Secretaria de Segurança do Estado.

O City Câmeras surgiu da necessidade da aliar segurança, tecnologia e participação popular para levar mais segurança aos cidadãos através de uma participação colaborativa, auxiliando o poder público a detectar, prevenir e reagir de forma correta a situações de emergência.

“O principal diferencial é a participação da população, uma vez que, para formar a rede de monitoramento, além das câmeras de órgãos públicos, serão utilizadas câmeras instaladas em residências e aquelas presentes em pontos comerciais”, destacou o secretário de Segurança Urbana, José Roberto Oliveira.

De acordo com o secretário, outros bairros da cidade como Belém, Tatuapé e Sumaré também estão aderindo ao programa de videomonitoramento público. O objetivo, segundo destacou o prefeito João Dória Jr. é chegar a 10 mil câmeras conectadas até o final do mandato.

Além da segurança maior para a população, o projeto City Câmeras vai gerar, de acordo com a Prefeitura, uma economia de R$ 3,6 milhões por ano com a rescisão do contrato de aluguel de links e câmeras que era feito até então.  O site e a plataforma foram doados pela iniciativa privada e participaram do processo empresas como Tecvoz, Telefonica, Febraban, Camerite, Fevabras e Alobrás.

Para aderir ao projeto, as câmeras devem ter um padrão de qualidade mínimo para garantir a qualidade das imagens geradas. Para isso, os modelos instalados até agora pela Tecvoz – e que devem ser padrão para o projeto, possuem resolução de 720p – 1 megapixel e 12 fps, com tecnologia HD. Para o armazenamento, os participantes do Projeto terão de contratar uma plataforma de gravação em nuvem.

A presença de empresas do segmento de segurança eletrônica trouxe o embasamento técnico necessário para o funcionamento do projeto.

“O maior problema que existia antes era a configurar as câmeras por causa dos diversos softwares que as comandavam, já que a comunicação era inviável. Por isso, criamos uma linha de câmeras ponto a ponto, ou seja, as imagens vão para a internet e para o provedor sem precisar de configuração”, explica Mário Montenegro, parceiro da Tecvoz no projeto.

Outro destaque tecnológico é a possibilidade do armazenamento das imagens na nuvem por sete dias através do serviço de cloud, que disponibiliza as imagens através do protocolo RTSP embarcado nas novas câmeras.

“Graças a esse protocolo é possível disponibilizar e ter acesso às imagens em qualquer dispositivo móvel sem a necessidade de plug-ins”, completa.

Monitoramento participativo

O sistema de monitoramento compartilhado não é novo e já é utilizado em outras cidades do estado. Com o serviço compartilhado é possível monitorar o patrimônio público, escolas, hospitais e grandes vias de circulação de pessoas e automóveis, como avenidas, ruas e pontes através de câmeras externas instaladas em condomínios, fábricas e empresas.

“Esse monitoramento vai permitir mapear ocorrências e gerar flagrantes não só no trânsito, mas também de atividades ilícitas como descarte de resíduos, roubos e casos de violência, O principal objetivo da Prefeitura é atuar de forma integrada e em parceria com o Estado para prevenir delitos e a prática de crimes na cidade”, destacou Doria.

Notícias Relacionadas